O Sindicato

Histórico

Sinbi: Trabalho em prol das empresas associadas

O Sinbi (Sindicato das Indústrias do Calçado e Vestuário de Birigui) atua como agente de desenvolvimento para o setor calçadista de Birigui. Por intermédio de projetos e ações bem estruturadas, o Sindicato contribui com o crescimento e profissionalização das empresas associadas e da consolidação de Birigui como a Capital Brasileira do Calçado Infantil.

Faz parte também da missão do Sinbi tornar o Polo referência no quesito qualidade. Indústrias de todos os portes recebem atenção do Sinbi, que também representa as empresas de confecção e vestuário do município, a fim de estender a elas o suporte oferecido ao setor calçadista.

A participação da produção de calçados infantis de Birigui frente ao cenário nacional representa 52%.

Empreendedorismo é uma das marcas de Birigui. Todas as indústrias nasceram e se desenvolveram na própria cidade, como resultado do empenho de nossos empresários.

Produção calçadista em 2016

As empresas de calçado de Birigui produziram no ano passado 47.059 milhões de pares. Do total da produção, 3,1% foi exportada. Foram gerados 14.490 empregos diretos. Estes números são referentes à pesquisa de desenvolvimento do polo realizada pelo Sinbi junto às indústrias da cidade. 

Números

População de Birigui: 108.722 habitantes (Último Censo: 2010)

Número de empresas: 350 (aproximadamente)

Empregos gerados em 2016: 14.490

Pares de calçados produzidos em 2016: 47.059 milhões

Produção exportada em 2016: 3,1%

O polo representa 52% da produção nacional de calçado infantil. 


Ações Institucionais

Representar os interesses das empresas associadas e defender a categoria industrial do calçado e do vestuário são prioridades do Sinbi. Para isso, participa ativamente nas conquistas junto ao governo, nas ações em parcerias com a Fiesp, negociações trabalhistas e diversas outras melhorias para o setor.

O Sinbi faz parte de um movimento importantíssimo para a categoria, que é a união dos sindicatos calçadistas do Estado de São Paulo. Eles se uniram para cooperar entre si e pleitear benefícios comuns junto aos governos estadual e federal e também junto a entidades representativas. Entre as ações conjuntas com resultados satisfatórios estão a redução do ICMS no varejo paulista de calçados, de 12% para 7%, reativação da linha de crédito FAT Giro Setorial do BNDES; e solicitações referentes ao Cartão BNDES, como redução de 3% para 1,5% das taxas cobradas pelas administradoras do cartão dos fornecedores de insumos; extensão do cartão ao comércio varejista para aquisição de calçados da indústria nacional.

Sua participação junto à Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo) é bastante marcante, com dois delegados em comitês, que contribuem para as decisões que envolvem o setor.

Também tem importante atuação em negociações nas convenções coletivas de trabalho, buscando atender às necessidades dos trabalhadores, com base nas possibilidades das empresas. Birigui foi o primeiro Polo Calçadista do país a ter uma comissão tripartite, formada por representantes do Sinbi, Sindicato dos Trabalhadores e Ministério do Trabalho, que atua em conjunto há dez anos.

O Sinbi participa ainda da articulação de diversas melhorias para o setor, como por exemplo, na instalação da ETEC do Centro Paula Souza em Birigui, na inauguração do Teatro do Sesi e na ampliação da escola do Senai. Também atuou na fase de elaboração do projeto para implantação do Núcleo de Tecnologia e Design do Couro e do Calçado do Senai em Franca.

Localização